Mayoruna

O Povo Mayoruna se autodenomina Matsés e vive na bacia do Javari, rio que em quase toda sua extensão constitui a fronteira Brasil-Peru. Embora habitem ambos os lados das fronteiras nacionais, no Brasil a maioria da população está distribuída entre 11 aldeias na Terra Indígena Vale do Javari. Esse povo caracteriza-se como a maior população nessa região, com cerca de 2.226 pessoas (Fonte: SIASI local).

A palavra Matsés é polissêmica. Pode designar o povo que conhecemos por este nome, por oposição a outros (esses chamados de maiu ou matsés utsi); qualquer povo indígena, por oposição aos não-indígenas (estes chamados chotac); ou “gente”, por oposição a outros seres. Matsés pode significar ainda o grupo de co-residentes ou os parentes mais próximos do falante, bem como se referir ao conjunto dos tios maternos e maridos das tias paternas (nesse caso, precedida pela partícula cun, que indica posse). Mayoruna é um termo de origem quechua (mayu = rio; runa = gente), usado a partir do século XVII por colonizadores e missionários para se referirem a grupos que habitavam a região do baixo Ucayali, alto Solimões e Javari (Erikson, 1992).

Principais aspectos

Localização: Fronteira Brasil-Peru, ao longo do Rio Javari, no extremo-oeste da Amazônia brasileira.

Líder: Waki Mayoruna

Idioma: Representam o ramo mais setentrional da família etnolinguística Pano. Mayoruna é um termo de origem quechua que significa "gente do rio" (mayu = rio; runa = gente).

Precisa de ajuda?